sábado, maio 30

Nigredo, Albedo, Citrinitas, Rubedo

Primeira Parte aqui.

Queria dizer-lhe "abraça-me para sempre" mas não podia. Juramos uma relação profissional que acabei por destruir. Corrompi a relação desde o início e sem o saber, enganei-me a mim mesmo...

e perdi-a.

Podia ter deixado andar, mas decidi perdê-la. Decidi abandonar o meu consolo temporário e voltar ao meu sofrimento. A escuridão que sempre senti. Sei que fiz o mais acertado, não podia continuar a viver uma mentira apesar de me sentir tão bem quando olhava nos seus doces olhos.
Mas não a perdi sem primeiro obter alguns insights importantes da parte dela. Como numa das leis mais importantes da alquimia, não se ganha nada sem primeiro perder ou transformar os elementos iniciais.

Passei a primeira fase: a escuridão, decomposição e putrefacção (o Nigredo), passei a segunda fase, a luz branca da esperança, do amanhecer e da lua (o Albedo) e ao perder a minha amiga, recebi talvez os elementos para a terceira fase: o amarelar solar, o amarelar da consciência lunar (Citrinitas). Falou-me da importancia da auto-estima, de ter objectivos definidos e de não ter medo desses objectivos, este último é mais importante. Para vós pode parecer simples, mas para mim é uma descoberta sem precedentes. Podemos ouvir a mesma sabedoria vezes sem conta, mas só floresceremos quando estamos preparados para receber essa sabedoria. Admitindo que consigo passar esta fase, tudo estará bem e o meu trabalho espiritual estará completo.

Ainda choro a perda dela, mas sei que fiz o mais acertado.

1 comentário:

Ricardo Veras disse...

É um pena ter visto essa bela mensagem muito tempo depois... Mas valeu o despertar!